Cookies disclaimer

I agree This website or its third party tools use cookies, which are necessary to its functioning and required to achieve the purposes illustrated in the cookie policy. If you want to know more or withdraw your consent to all or some of the cookies, please refer to the cookie policy. By closing this banner, scrolling this page, clicking a link or continuing to browse otherwise, you agree to the use of cookies.

Campuse.ro
Favela Hacker #CPBR12
Favela Hacker #CPBR12
Workshop: Favela Hacker #CPBR12 Development
More Information
Description:

Propomos apresentar o projeto Favela Hacker e seus laboratórios maker implantados no CIEP Antônio Candeia Filho, uma escola municipal do RJ .Os laboratorios são os meios de viabilização do PPP da escola que é: CANDEIA CANTA, ACARI ACALANTA E O MUNDO SE ENCANTA, na qual o objetivo principal é de fazer as crianças Sonharem. .Baseados na metodologia de aprendizagem criativa e nas escolas inovadoras: High Tech High e Dels Encants, os laboratórios permitem que o aprendizado se dê a partir de desenvolvimentos de projetos individuais e/ou coletivos, criando engajamento e estimulando a criatividade. A apresentação se dá a partir de montagens interativas de materiais produzidos e rodas de debates dos trabalhos realizados nos laboratórios. 



Speakers:

Daiane Brasil -

31 anos, educadora e maker do grupo eLABorando, atua diretamente na escolha dos materiais e soluções em eletrônica básica, mecânica e link com a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) a partir da metodologia em Aprendizagem criativa. Professora de formação, com uma experiência relevante em produção cultural atuei em gestão pública como Diretora do Teatro Carlos Gomes e Ziembinski da Rede Municipal de Teatros, do município do Rio de Janeiro (2015-2017) e coordenadora das oficinas de Culturais da Cidade de Nova Iguaçu - Atuando na efetivação da integração em as ações de Cultura e Educação (2011-2012) Programa Bairro-Escola. Fundadora da ONG Laboratório Cultural, fundada (2009) com expressiva atuação na formação de jovens periféricos em linguagens artísticas, Dominique: negro, mineiro e moro no rio desde meus 8 anos, trabalho com criação de materiais acessíveis pedagógicos e com tecnologia e inovação. Dentro do IMJA ( Instituto Maria João Aleixo) que é um centro de estudos dedicado à formação, à criação e à difusão de conhecimento sobre espaços populares que tem o objetivo de produzir insumos e repertórios que contribuam para a superação da visão hegemonicamente negativa sobre periferias e favelas . Estou participando de um grupo de trabalho onde somos seis jovens negros(3 homens e 3 mulheres) oriundas de favelas do Rio com conhecimentos tecnológicos. O grupo discuti e pesquisa novas tecnologias. iniciamos a pesquisa para criar um novo campo de atuação e trazer mais pessoas negras e periféricas para a tecnologia, Criar produtos que traduzam e tenham as essências da periferia e favela, expandir o número de pessoas negras na tecnologia, ampliar redes de comunicação ecolaboração de projetos com foco principal temas que envolvam favelas.


Lucas Dominique - Criador de materiais acessíveis pedagógicos com uso de tecnologia e inovação

Negro, mineiro e moro no rio desde meus 8 anos, trabalho com criação de materiais acessíveis pedagógicos e com tecnologia e inovação. Dentro do IMJA ( Instituto Maria João Aleixo) que é um centro de estudos dedicado à formação, à criação e à difusão de conhecimento sobre espaços populares que tem o objetivo de produzir insumos e repertórios que contribuam para a superação da visão hegemonicamente negativa sobre periferias e favelas . Trabalha com inclusão de tecnologia dentro de escolas publicas. Já ouviu falar em tecnologia preta? Não!? Então vem comigo “menó”.

 


Level:

Beginner

Comments

Remember that to comment you must participate in the activity.

About this activity