Cookies disclaimer

I agree This website or its third party tools use cookies, which are necessary to its functioning and required to achieve the purposes illustrated in the cookie policy. If you want to know more or withdraw your consent to all or some of the cookies, please refer to the cookie policy. By closing this banner, scrolling this page, clicking a link or continuing to browse otherwise, you agree to the use of cookies.

Campuse.ro
Fotografia, memória e identidade #CPNatal
Fotografia, memória e identidade #CPNatal
Talk: Fotografia, memória e identidade #CPNatal Creativity
More Information
Description:

O debate abordará uma experiência do uso da linguagem fotográfica e o exercício do olhar na dinamização criativa do processoeducativo e da produção e difusão de bens culturais.Articulando os campos da fotografia, memória e identidade, a proposta destacaráo protagonismo de crianças, adolescentes e jovens de escolas públicas e comunidades quilombolas na produção e difusão doconhecimento de forma colaborativa.A discussão dará ênfase ainda ao uso das novas tecnologias da comunicação einformação, a criação de museus comunitários e o compromisso da educação com a transformação social.



Speakers:

Raimundo Melo - Formado em Letras com Pós-graduação em Ciências Sociais. Professor Universitário, lecionou no Curso de Comunicação Socialda Universidade Potiguar – UNP e orientou projetos de comunicação nos Cursos de letras, Jornalismo e Publicidade.Na área do audiovisual já realizou mais de 60 documentários sobre variados temas: processos educativos, tecnologias sociais, cultura popular, ecologia, entre outros. Nessa área tem realizado capacitações e produções na campo da educação formal e popular; além de atuar com adolescentes e jovens que vivem em situação de vulnerabilidade social.Como fotógrafo, desenvolve projetos de formação e documentação de temas relacionados ao meio ambiente, patrimônio cultural e memória social. Suas fotografias já foram publicadas em jornais, livros e revistas.Raimundo Melo integra a coordenação do Pontão de Cultura e Comunicação no RN onde também é responsável pela elaboração e aprovação de projetos culturais e de desenvolvimento local. Já aprovou projetos junto à Petrobras, Ministério da Cultura, o CNPq, Banco do Nordeste, entre outros. É fundador e coordenador da Rede Potiguar de Televisão Educativa e Cultural. Ele elaborou o projeto de criação do Museu Nísia Floresta e atualmente integra a coordenação do Museu – uma iniciativa que tem como objetivo funcionar como um espaço dinâmico de atividades de arte, cultura, inclusão e cidadania, bem como um local de preservação e difusão da memória da escritora Nísia Floresta.Raimundo Melo também faz parte da coordenação da Rede de Pontos de Memória e Museu Comunitários do Rio Grande do Norte e Integra a Comissão Nacional de Gestãocompartilhada do Programa Pontos de Memória do IBRAM – Instituto Brasileiro de Museus, representando a sociedade civil.Várias iniciativas coordenadas por ele já conquistaram diversos prêmios tais como: Prêmio Observatório Nacional de Boas Práticas e Projetos Inovadores com Crianças e Adolescentes (2010), Prêmio Itaú-Unicef – Edição 2011 (Cenpec/Itaú Social/Unicef), e Prêmio Itaú Unicef - 2013 categoria regional e Nacional.



 



Talita Barbosa - Formada no Curso de Nutrição pela Universidade Potiguar. Cursa atualmente pós-graduação em Nutrição Clínica pela Universidade Estácio de Sá.Com formação técnica nas áreas de patrimônio cultural,memória e comunicação, tem experiência com projetos sociais com foco em crianças, adolescentes e jovens. É coordenadora do Centro de Documentação e Comunicação Popular – CECOP eleita para o período de 2015 a 2019.Na área da comunicação tem experiência na realização de roteiro e direção de produções audiovisuais, além de atuar como repórter de programa de TV. Nessa área integra a RPTV- Rede Potiguar de Televisão Educativa e Cultural.É coordenadora do Museu Nísia Floresta, experiência quearticula iniciativas de preservação e difusão da memória e história da escritora e primeira feminista da América Latina, Nísia Floresta com ações de educação e cultura, voltadas para o público das escolas públicas e em situação de vulnerabilidade social.Já participou de algumas iniciativas que conquistaram alguns prêmios como o Juventude e Protagonismo Juvenil (2010), Prêmio Mídia Livre do Ministério da Cultura (2015); Ponto de Memória do IBRAM – Instituto Brasileiro de Museus (2016) e Prêmio Tecnologia Social da Fundação Banco do Brasil (2017), com a experiência do Museu Nísia Floresta.



 



Level:

Beginner

Comments

Remember that to comment you must participate in the activity.

About this activity